segunda-feira, 21 de maio de 2007

nº 2 Bad Trip - Parte 1

Porra. Merda. Mais um dia.. esse futebol prometia tanto.. Merda.. Joguei mal.

_ Que golaço heim rapaz.. (falou o Márcio ao sair da quadra)

É. Valeu pelo golaço.

_ E ai? Vamo pro role lá? (me dirigi ao Fábio, que há muito havia desistido do futebol e já tomava uma cerveja sozinho)

_ Vamos sim! Vamos. Só temos que passar em casa. (respondeu)

_Fecho. Fecho.

Tudo combinado. Onde será que vamos? Porra. Nada a ver eu ir. Mas vou, foda-se. Vai que é legal. Depois eu pego o Metrô e já era. Volto para casa. Nunca faço nada, vai que é divertido. Os roles dele são sempre da hora. Costumam ser.

_ Vamo ai. (digo)

(Já no carro. Fábio põe em seu MP3 uma seqüência de Cartola)

_ Bela musica. “A sorrir eu pretendo levar a vida”. Bela musica. Onde Vamos? (pergunto)

_ Vamos lá no Adamastor. Aquele bar. Adoro lá. Não sei explicar, lá tem um ambiente muito agradável, gente bonita, boa musica. Também temos uma garrafa de Uísque lá. Podemos beber e tudo. É só um chopinho para abrir e depois Uiscão. Está feita a noite.

_Firmeza. É hoje que eu entorno o caneco.

_ Estamos chegando.

(Estaciona o carro, a porta fecha) (a da porta abre)

_Pode entrar. Fica a vontade. Toma banho lá no meu banheiro, eu vou no da minha irmã.

_Firmo. Me empresta uma camiseta.

(cada um para seu banheiro.) (Já vestido, eu aguardo sentado na beirada da cama enquanto Fábio entra pela porta)

_ Vamos?

_ Jajá. Está cedo. Vou pegar um negócio.

(Abre uma gaveta do lado da cama e tira um pacotinho de maconha, um pacotinho de seda e dois objetos que não reconheço)

_ Claro né. Seguir a rotina. Fábio e banza é sinônimo. Para que é isso.

_ Esse é para dechavar e com isso você bola. Muito mais fácil, fica perfeito.

(Fábio faz o passo-à-passo e eu, como leigo, fico só observando) (Acendendo e puxando) (passa o cigarro) (Eu puxando)

_Esse é bom. Um amigo meu me trouxe ontem.

_ Quanto você gasta por mês nisso.

_ Há dá uns 70 conto (responde prendendo a fumaça)

_ Não é muito.

_É... Vamos indo. A gente termina no caminho.

(Apaga o cigarro em close) (Liga o carro)

_ Acende ai. To meio brisado já.

(Acende o cigarro. Passa para mim e liga mais Cartola.“Ah essas cordas de aço”)

Essa música é muito loca. Estamos chegando. Será que é longe. Tenho que fumar.

(Fuma) (solta) (Fuma) (Tosse) (solta) (fuma) (solta) (passa)

Carai. Nem dá nada. As vezes nem me dá nada. Vou ficar de boa.

_ É aqui. Vou apagar. Fala alguma coisa.

Chegamos. Será que vai ser legal. Acho que estou loco. Eu to loco hauahuahu. Preciso disfarçar. Eu fico muito retardado. Porra, eu to mó retardado. Porra. Está parando o carro. Agora eu estou solteiro. Acabou o cigarro?

_ Acabou o banza?

_Faz tempo. você que apagou.

_ Ah é.

_ Vamos. Chegamos.

(Fecha a porta) (entra o bar)

Ta cheio isso daqui. Ó barulheira. Olha uma gatinha. Tem umas coisas penduradas na parede. Já estive aqui. Quando? Já estive aqui, com certeza.

_ Oi pessoal. Esse é o Caio.

(Cumprimentamos todos. Ele primeiro e eu repetindo todos seus passos. Cada movimento. Todos se apresentam)

Já estive aqui. Esses amigos do Fábio são todos músicos. Todos “cult”. A mina é bonitinha. Qual o nome dela mesmo? Vou prestar atenção na conversa dela. Ela é meio gorda. Mas eu pegava, foda-se. Aqueles gordos ali devem ser irmãos. São parecidos. São feios. Devem ser músicos. São feios. Já estive aqui. Olha esse urso na parede.. (olhava o desenho de um urso emoldurado na parede. Havia algo escrito, mas a vista embaçada não me deixava ler)

_ Vamos pedir o uisque agora?

_ Que?

_Vamos pedir o uísque agora?

_Opa, seria uma boa. Hhehe

_ vamos de chope. Quer?

Eu quero. Eu respondi. Ele já está pedindo. Não precisei responder. Eu devo ter respondido. E esse urso na parede. Eu já vim aqui. Eu lembro desse urso. Eu já vim aqui. Esses quadros todos. Onde será que é o banheiro. Estou muito louco. O chope não chega. Chegou. Não chega. Agora é, chegou. Nossa que horrível. Minha boca está seca. Fica ruim a cerveja. Ruim a cerveja. Preciso molhar minha boca. Como eu faço isso. No próximo gole eu faço um bochecho e bebo tudo de uma vez. Bosta, engoli direto. HAUHAU estou muito loco. Agora eu consigo. Passa na boca inteira. Não adiantou. Pô.. não estou falando com ninguém. O Fábio está conversando.

_ Lá foi mó legal. Queria voltar lá.

Será que ele está se divertindo. Acho que ele está constrangido com a minha presença. Eu não estou participando. Deve pensar; “trago o moleque e ele não fala nada”. Mas ele está com os amigos dele. Não deve nem estar prestando atenção. Mas quando eu estive aqui. Tenho certea que nunca vim aqui. Mas o lugar me é muito familiar. Já estive aqui. È dejavu. É issio. Já estive aqui em outra vida. Bobagem. Mas pode ser. deve ser um lugar parecido. Deve ser...

_ E ai Caio.

_ Tudo bem? (falo com um sorrisão no rosto)

_ Não fala nada?

_Estou prestando atenção nu lugar.

(Sorriso amarelo. Um dos gordos cabeludos o chama do outro lado da mesa)

Gordo. Odeio gordos. Na verdade odeio gente feia. Gordos são feios. Essa minha é uma gracinha. Pegaria ela. Ela não me pegaria. To muito loco. Deve ser namorada desse cara. Estão sentados lado-a-lado. Não deve ser não. Será que alguém já pegou ela? É a única mina da mesa. Eu nunca estive aqui. Definitivamente. Eu penso em mil coisas ao mesmo tempo. Minha cabeça está a mil. Mi coisas ao mesmo tempo. Por isso que quem fuma um fica lento, porque a cabeça está a mil. O corpo não acompanha. O corpo é mais lento que a cabeça. A mente é muito rápida. O corpo é limitado. É isso. Minha cabeça está a mil. Não consigo completar nenhum pensamento. Eu não estou falando com ninguém. Minha cabeça está a mil. Preciso ir ao banheiro. Nem bebi minha cerveja. Vou dar outro gole. Mas eu não quero. Com o fumo o gosto fica muito ruim. Preciso tomar minha cerveja. O Fábio Já pediu outra. Eu preciso tomar minha cerveja. Vou dar um gole. Pronto, um gole. Pronto.

(levo o copo a boca)

Meu Deus que ruim.

_ Ainda não terminou essa.

_ Ta fóda. O gosto ta ruim. Quando eu fumo, eu não gosto.

_Bebe essa. Depois da primeira passa o resto.

(levo o copo novamente a boca)

Meu Deus, que ruim. Vou falar que está ruim. Ele já mudou de conversa. Vou no banheiro. Será que quero mijar? Eu não quero mijar O Fábio deve ter odiado me trazer aqui. Não estou ajudando na alegria dele. Vou no banheiro. Eu não quero mijar. Vou lavar o rosto para ver se melhoro. Estou bem. Minha cabeça está a mil. Já vou. Vou terminar a cerveja primeiro. Falta muito. Vai dar vontade de mijar. Então não vou beber. Mas eu já vou ao banheiro. Vou beber tudo de uma vez. Rápido. Agora.

(Levo o copo a boca e dou somente um gole)

Queria água. Vou ao banheiro. Sobrou cerveja. Vou ao banheiro.

_Onde é o banheiro?

_Alí.

(Levanto-me e vou em direção. Peço licença para a cadeira que ocupa meu caminho)

Não posso dar pala. Vou devagar. Onde é o banheiro. É naquela portinha. Quantos quadros. Já vi esse urso. Já vim aqui antes. É nesse corredor. Tem uma gatinha. Não posso dar pala. É aqui. Está ocupado. Só tem um. Está ocupado. Olha uns barris de cerveja. Aqui que armazenam? No corredor do banheiro. Que limpo. Mas está fechado. Está ocupado. Demora. Devem estar cagando. Vou esperar. Encostarei aqui. Não dá, tem os barris. Vou ficar aqui. A porta está se movendo. Não ta não. Está sim. Maluco ta saindo. Deve ta fedendo. Não, não ta não. Só mijo, mas é normal. Cagão. Maluco grande. Banheiro. Vou mijar. Mijar. Isso mijar. Não, vou lavara mão primeiro. Por que? Vou mijar. Vou mijar. Não estou com vontade. Vou mijar. Vai sair. Saiu. Sensação esquisita. Não é gostoso. Até meu mijo ta seco. Vou dar descarga. Não, vai espirrar em mim. Vou fechar a tampa. Não deve ter tampa. Não, tem tampa. Vou fechar. Deve estar melada. Não, fica sempre aberta. Sim está melada. Merda.

(Deixo a tampa cair. Espirra em minhas pernas)

Merda. Péssimo plano. Será que estão dando por minha falta. Não. Faz pouco tempo que estou aqui. Faz muito tempo que estou aqui. Vou lavar a mão. Ninguém deve lembrar que eu vim. Vou lavar minha mão. Água. Adoro água. Minhas mãos estão secas. Acho que é a fumaça que faz isso. Oba! Vou lavar minhas mão! Que delicia. Estou com sede. Tomaria essa água. Não, é nojento. Tomaria essa água. Vou lavar minha boca. Lavei. Boa idéia. Muito bom. Parece que sai aquela gosminha de baba seca. Será que fica tudo ressecado mesmo ou é impressão. Deve ser de verdade. Deve ser a fumaça. Imagina cagar nesse estado, deve ser uma merda. Desagradável. Vou voltar.

(Abre a porta) (puxa a cadeira)

_ Oi.

Ninguém respondeu. Nem sentiram minha falta. Não devo ter ficado lá nem 3 minutos. Dois. Cinco vai. Devo ter demorado. O Fábio deve estar puto comigo. Será que isso é Bad Trip. Huahua! Eu tive uma Bad Trip. Eu não estou me divertindo.


(Continua)

Um comentário:

Autor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.